quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Enchentes em Santa Catarina

Por favor se comentar deixe um email para contato.

Comentários recebidos (omito os nomes por conveniência) dos textos abaixo:

É absolutamente impressionante a dificuldade que esse povo tem de correlacionar o desmatamento com o desastre de SC. Precisam consultar cientistas para se certificar de uma coisa tão banal e tão elementar. A negação desse povo é assustadora. Seria como você não correlacionar saneamento com saúde ou pobreza com crime. É muita cegueira, é muita burrice, é muita falta de noção básica. Deus que me perdoe, mas essa raça não vai ter a menor chance de sobreviver o século 21. Burrice dessa magnitude garante o término do processo humano. A droga é que para cada Beethoven, para cada Sócrates, para cada Gandhi existem mil B******, mil L**** e mil G***** M*****...aí ferrouu e ferrou geral.

xxxxxxx

Isso pra não dizer que 90% dos rios catarinenses são contaminados com dejetos de suínos. Aliás, ninguém parou aind apra ver que as granjas de suínos também foram alagadas e que a porcaria toda, que antes era jogada nos rios, agora está democraticamente sendo espalhada pelo estado todo.
Lindo, não?

xxxxxxx

Ai meu Deus, estou começando a abençoar o asteróide que está a caminho da Terra em 2012.... eu tomo um lexotan e deito... só falta ainda acordar depois.... putz...

xxxxxxxxx

Estamos todos entregues às baratas!

xxxxxxxxx

Enviado pelo professor Clóvis Cavalcanti:

26 / 11 / 2008 Desmatamento da Amazônia pode aumentar chuva, diz geógrafo

O desmatamento da Amazônia tem influência importante em toda a América Latina e a relação desse fato com a catástrofe climática que aconteceu em Santa Catarina deve ser considerada, embora não possa ser culpada isoladamente. Essa é a opinião do geógrafo e professor da USP Wanderley M. da Costa, especialista no assunto e ganhador do prêmio Jabuti 2008 com o livro Dimensões Humanas da Biosfera-Atmosfera da Amazônia.

"Alguns fatos já são comprovados cientificamente. Por exemplo, uma grande parte da camada de água da Amazônia está sobre forma gasosa e evaporando no sentido leste para oeste. É claro que esse fato afeta todo o clima do continente. Não podemos responsabilizar, no entanto, esse fato apenas pelo que ocorreu em Santa Catarina, pois o excesso de chuva na região Sul pode ser resultado da combinação desse fator com a alteração de temperatura dos
oceanos", explica.

O professor destaca que a Amazônia tem 5 milhões de km² de florestas tropicais úmidas contínuas, a maior bacia hidrográfica do mundo (20% da água doce), além da mais formidável megabiodiversidade conhecida. Costa comentou o assunto na palestra que deu nesta terça-feira, 25, sobre a Revista Nossa América, do Memorial da América Latina, na livraria Cultura.
(Fonte: Estadão Online)

26 / 11 / 2008 Enchentes em SC 'são reflexo de mudanças na Amazônia', diz 'Clarín'


As enchentes em Santa Catarina, que mataram dezenas de pessoas e deixaram milhares desabrigadas, são sinal de que o impacto do aquecimento global sobre a Amazônia já está tendo um reflexo sobre o clima da América do Sul, diz artigo na edição desta terça-feira (25) do jornal argentino, Clarín.

"Começa então a se cumprir, muito antes do previsto, o que vêm advertindo os cientistas, entre eles os do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas. (...) As mudanças na floresta amazônica, em conseqüência do aquecimento global e da ação destrutiva do homem, já começaram a se fazer sentir no Cone Sul", diz o diário.

"As tempestades em Santa Catarina, simultaneamente às fortes secas no Chaco, em Buenos Aires, La Pampa, Santa Fé e Córdoba" são citados pelo artigo como reflexos de mudanças na Amazônia.

O Clarín ouviu dois especialistas do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) para explicar o fenômeno.

Segundo o jornal, "o físico Antônio Ozimar Manzi afirmou: 'Esta zona (que inclui a selva no Brasil e mais outros oito países da região) é a principal fonte de precipitações na região'. E tudo o que acontecer modificará de maneira decisiva o clima no sul e no norte da América do Sul".

Paulo Artaxa, também ouvido pelo jornal argentino, explica que "no céu da Amazônia há um sistema eficaz de aproveitamento do vapor d'água (...) mas a fumaça dos incêndios florestais altera drasticamente este mecanismo: diminui a formação de nuvens e chuvas em algumas regiões e aumenta as tempestades em outras".

O Clarín conclui que "não é de se estranhar fenômenos como as inundações de Santa Cataria quanto a seca no norte, centro e leste da Argentina". "Não são castigos divinos, mas bem humanos." (Fonte: Estadão Online)

Nenhum comentário: