segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Desafio da Sustentabilidade - CPFL Cultura Campinas

Por favor se comentar deixe um email para contato.

Módulo: Desafio da Sustentabilidade

Desafio da sustentabilidade:
Economia Ecológica é uma ciência que ainda não encontrou uma aplicação prática representativa na nossa sociedade, embora tenha vários formuladores e uma crítica contundente contra a visão econômica tradicional. A discussão desse módulo é tentar entender o porquê da falta de aplicabilidade da visão da economia ecológica, peça necessária para se atingir a sustentabilidade. A inclusão dos aspectos sociais e ambientais nos modelos, nas métricas e na reformulação das políticas econômicas que ainda ignoram as externalidades ambientais é um passo ainda a ser conquistado. Os serviços da natureza ainda são considerados gratuitos e inesgotáveis, provocando a sua dilapidação contínua a custo zero. Os impactos sociais da destruição tecnológica do emprego, da concentração de riqueza e da opressão nas relações do trabalho continuam esquecidos. A perda de liberdade individual e o mau funcionamento das democracias onde os governos tomam decisões a favor de determinados grupos de interesse em detrimento da maioria da população tornou-se uma restrição para se optar por atividades mais voltadas para a sustentabilidade. Grande parte dos desastres ambientais globais e locais que estamos observando, como a poluição, o esgotamento do solo e da água, a extinção da vida e o aquecimento global são resultados diretos dessa visão da economia tradicional que ainda é considerada a única prática econômica viável. Essa ausência de debate na visão prática no mundo, que colocou a humanidade no maior risco da sua história é singular. Segundo os cientistas, a probabilidade da humanidade não sobreviver até o final do século atual é de 50%. Não é a natureza que está ameaçada, mas sim nós que estamos ameaçados por essa falta de mudança de prática e de visão e ainda da inexistente ascensão da economia ecológica como o principal corpo teórico das vidas das pessoas, das empresas e dos governos. Como mudar isso a tempo e quais são as chances de caminharmos na direção da sustentabilidade, discutindo controle populacional, desenvolvimento econômico sem concentração de riqueza, criação de empregos mais sólidos e não dependentes do ciclo econômico, biocombustíveis, etc. Essa é a proposta do presente módulo.

Todas as palestras serão às 19 horas do dia indicado, o tema está aberto ainda para alterações e sugestões do palestrante convidado. A palestra terá duração de aproximadamente 45 minutos e a duração máxima do evento é de 2 horas, incluindo aí o tempo para perguntas do público. O local da palestra será: Rua Jorge Figueiredo Corrêa, 1.632 - Ch. Primavera - Campinas – SP. Qualquer eventualidade antes ou a caminho da palestra, pode entrar em contato com Adriana Canguçu, pelo telefone (19) 3296-6665 ou e-mail: adrianacangucu@cpfl.com.br.



Programação

Hugo Penteado

Dia 6/11/2008, às 19 horas, com o seguinte enfoque: Economia Ecológica, uma nova visão.

Nós, nossa economia e nosso sistema produtivo somos dependentes da natureza. A apresentação começa com um resumo dos problemas socioambientais criados pelo nosso sistema econômico. Em seguida, mostra como a teoria econômica tradicional ignora os fatores sociais e ambientais em suas teorias, através do uso de leis da física de 200 anos cujos avanços mudaram a forma como enxergamos a realidade à nossa volta.

Professora Rachel Negrão

Dia 13/11/2008, às 19 horas, com o seguinte enfoque: Economia Ecológica e o desafio da sustentabilidade.

O conteúdo da palestra tratará do tema sustentabilidade e seus desafios para a sociedade. Dentre os desafios, tratarei daqueles que associam-se fortemente às transformações relacionadas ao paradigma do pensamento, ou seja, trata-se de uma transição rumo à compelxidade e transdisciplinaridade. A teoria econômica tradicional não escapa a essa exigência, sendo a economia ecológica o referencial transdisciplinar que emerge como uma das possibilidade para alcançarmos sustentabilidade.

Professor Ademar Romeiro

Dia 27/11/2008, às 19 horas, com o seguinte enfoque: Economia Tradicional e seu impacto na sustentabilidade.

O conceito de sustentabilidade, ou aquele implícito na formulação mais conhecida de desenvolvimento sustentável, acabou sendo incorporado nas análises econômicas sobre o problema ambiental pela corrente dominante do pensamento econômico, mas de uma forma que ignora os dados ecológicos básicos sobre o comportamento dos ecossistemas e as respectivas capacidades de suporte (resiliência). Desse modo, sob o nome de sustentabilidade fraca, se considera que todos os serviços ecossistêmicos ou podem ser substituídos pelo capital (regulação climática natural por ar condicionado, por exemplo), ou podem ser destruídos irreversivelmente sem maiores conseqüências para a vida humana no planeta.

Professor Paulo Roberto da Silva

Dia 4/12/2008, às 19 horas, com o seguinte enfoque: Consumo consciente e o desafio da sustentabilidade.

Para encerrar o Módulo Desafio da Sustentabilidade, apresentaremos a proposta da Economia Baseada na Abundância (EBA!) que estimula a transformação radical dos nossos comportamentos cotidianos, em favor da sustentabilidade socioambiental. Ela serve de base para vários movimentos mundiais, dentre eles: Simplicidade Voluntária, Movimento Devagar, Cidadania Mundial, Consumo Consciente, Consumo Solidário, Finanças Solidárias, Permacultura, Resgate do Feminino Construtivo etc. Exemplificaremos os dois primeiros.

Um comentário:

Ligia Giatti disse...

Caro professor, estou entrando em contato para convidar para um encontro sobre sustentabilidade que vai acontecer em São Paulo nos dias 20 e 21 de novembro. É o Global Forum América Latina, um encontro de inovação criativa para estimular a cooperação entre universidades, empresas, poder público e sociedade, em prol da construção de um mundo sustentável. Serão dois dias de trabalho na Fecomércio, onde cerca de 500 pessoas discutirão propostas e soluções inovadoras que promovam transformações econômicas e socioambientais positivas.


O prof. Ronald E. Fry,PhD, coordenará a etapa em São Paulo a partir da Investigação Apreciativa, metodologia de conversação inovadora desenvolvida em conjunto com o prof. David Cooperrider,PhD pela Case Western Reserve University (Cleveland, Ohio).

Neste encontro, os sistemas de ensino superior, especialmente as escolas de administração de empresas e cursos correlatos, serão inspirados a levar essa reflexão para dentro de seus cursos, a fim de proporcionar capacitação em desenvolvimento sustentável.

O evento tem uma taxa de inscrição de R$ 120,00 para professores e R$ 60,00 para alunos, mas para professores que mantém blogs com temas ligados à sustentabilidade na internet temos uma cota de convites especiais, sem custo algum.

Entendemos que este é o seu caso e desse modo estamos oferecendo esta cortesia.

Achei que este assunto te interessa então tomo a liberdade de enviar este material.


Se quiser mais informações visite nosso site: www.globalforum.com.br

Se quiser aceitar nosso convite, responda esta mensagem em sp@globalforum.com.br com o assunto: CONVIDADOS DA INTERNET

Atenciosamente,

Ligia Giatti
ligiagiatti@gmail.com