sábado, 31 de janeiro de 2009

NÃO À REDUÇÃO DAS RESERVAS FLORESTAIS. LOBBIES NÃO

Por favor se comentar deixe um email para contato.

Pessoas, segue a sugestão do nosso amigo Carlos para lutar contra a mudança do Código Florestal.

Face a:
1 - Toda a desgraça ambiental climática e ao panorama devastador que se projeta para a Terra nos próximos anos;
2 - À ação interesseira de grupos ligados ao agronegócio, pressionando pela redução das áreas de reserva na reforma do Código Florestal.
Proponho alguma reação (ainda que virtual - por enquanto)... Acabo de entrar no site do MAPA (o Ministério da "Agrodestruição") e, no link "Central de Relacionamento" encaminhei o texto mais abaixo:
O link para acessar o MAPA é http://www.agricultura.gov.br/
clicar no link "Central de Relacionamento", daí é só preencher o campo e posicionar-se contra esta redução das áreas de reserva.
Eis meu texto:
"Tenho acompanhado nos noticiários a discussão a respeito da reforma no Código Florestal. É preocupante, na grave e visível situação amibiental em que estamos, discutir-se a redução das áreas de reserva (seja em que estado do Brasil for) com fins de ampliar áreas de exploração do agronegócio. Comomorador de área urbana, que já sofre as conseqüências dessa devastação absurda, clamo ao Ministério da Agricultura que não ceda a lobbies que íncensatamente estão pressionando para que se destrua mais das nossas reservas. Que o assunto seja discutido com toda a sociedade brasileira e que, através de campanhas concientizem a população e empresários de que uma nova postura de consumo e de produção deve prevalecer. Uma postura que compute sempre a sustentabilidade do ecossitema. A continuidade da destruição só ampliará mais ainda a nossa própria destruição."

Abraços
Carlos

Segue o texto do Hugo

Ao Sr. Ministro da Agricultura
Sobre a revisão do código florestal
Os ecossistemas não estão aí apenas para serem transformados em fronteiras agropecuárias, eles possuem função vital de reguladores químicos da atmosfera, da água, do solo através de vários processos que o ser humano não pode prescindir nem é capaz de reproduzir e tudo isso é feito através da biodiversidade, outro serviço gratuito que os ecossistemas nos prestam. Quando o Exmo. Sr. Ministro da Agricultura puser a mão no coração, quero que ele imagine: seu coração só bate porque há um ser vivo na Terra que armazena a luz do sol, seu pulmão só respira porque há um ser vivo nos oceanos que produz o oxigênio, sua comida chega até seu estômago graças as abelhas e a todo conjunto de vida na Terra. No livro Biomimicry a autora deixa bem claro que toda espécie que não é capaz de compartilhar o meio ambiente com as demais espécies está fadada a desaparecer. Ela estava se referindo a nós, humanos. O exemplo dos países ricos de megalomania de crescimento econômico e populacional apenas para enriquecer os mais ricos e que causou a destruição de 100% das suas florestas não é um exemplo a ser seguido. As nações ricas conseguiram ficar ricas desse jeito, expoliando o seu meio ambiente, sem causar um caos plaentário porque fizeram isso sozinhas. Agora se todos seguimos na mesma direção, iremos terminar em colapso. Os países ricos ao esgotarem todos os recursos e serviços ambientais de seus territórios começaram a importá-los a custo zero dos países que ainda os posssuem e é por essa única razão que não viveram seu colapso ambiental. Ao invés disso, criaram pela primeira vez na história da humanidade um risco de colapso global.
Não podemos fazer uso da seguinte lógica mais: "eu nunca morri, portanto nunca vou morrer." É a mesma lógica que aplicamos ao planeta: "o planeta nunca nos expulsou, portanto isso nunca vai acontecer." Não é o planeta com sua história de 4,5 bilhões de anos para a qual não temos relevância alguma que está ameaçado, somos nós! E nós já causamos a maior extinção da vida na Terra dos últimos 65 milhões de anos.
Por favor, ministro, mude a sua mente e ajude seus filhos, seus netos e seus bisnetos e toda a família humana a continuar aqui.
Hugo Penteado

2 comentários:

Andrea paccini disse...

Eu entrei no site e deixei minha mensagem....

Cynthia disse...

Entrei no sítio do MAPA e deixei minha mensagem (vide abaixo), mas não sei se chegará a seu destino, pois ao clicar no "enviar", deu pau...

" Ao Sr. Ministro da Agricultura
Sobre a revisão do código florestal

Como cidadã brasileira, não posso deixar de manifestar meu repúdio à iniciativa de se reduzirem as áreas de reserva nas propriedades rurais da Amazônia Legal. Reduzir área de reserva na atualidade, em qualquer bioma,é um contrasenso, mais ainda em se tratando da floresta amazônica que é, sem dúvida, o maior patrimônio que o Brasil possuiu, e que pertence a seu povo.
Aumentar a fronteira agrícola na Amazônia é meta de uma visão míope de progresso, que visa o enriquecimento de poucos (e que só será eficaz por pouco tempo, considerando-se o tempo histórico) e desconsidera os interesses da Nação. A Amazônia precisa ser explorada sim, mas de uma maneira que preserve seu patrimônio biológico, cultural e ambiental.
Sugiro ao Senhor Ministro que se debruce sobre o conceito de Permacultura como maneira de explorar a floresta sem destruí-la, mas trabalhando em parceria com ela, empregando o povo que nela habita, com justiça ambiental e social. Consulte o Instituto de Permacultura do Amazonas (http://www.ipapermacultura.org/) e veja como uma outra maneira de lidar com a floresta é economicamente viável e, principalmente, necessária.
Deixemos de lado os interesses econômicos de poucos e pensemos como um povo que tem a responsabilidade de cuidar desta imensa floresta, tão importante para toda a família humana"

Cynthia Beisert (cybeisert@gmail.com)