sábado, 7 de março de 2009

Sem a Amazônia só alguns milhões de brasileiros sobreviverão

Por favor se comentar deixe um email para contato.

Esse título em uma postagem anterior chamou muita atenção dos meus leitores. Aqui devo alguns esclarecimentos, não muito profundos, mas que remetem, espero, à necessidade de entendermos a nossa relação com o planeta Terra e o reconhecimento do quão erradas estão as decisões dos economistas, dos governos, das empresas no mundo todo e o quanto estamos profundamente ameaçados num futuro próximo.

Espero que essa curta mensagem sirva de alerta para todos mudarmos. Não queremos mais mensagens ambientais frias, queremos a verdade e é sobre ela que poderemos agir. Lá vai:

A
atmosfera possui um equilíbrio químico que é fruto de várias causas, por exemplo, os ecossistemas e sua biodiversidade contribuem para manter o equilíbrio químico da atmosfera (do solo e do ar também). Por isso, os cientistas dizem com segurança que todos os seres vivos dependem de todos os seres vivos, é uma teia de vida interdependente. Enquanto estamos aqui na Terra, respiramos, comemos e vivemos graças a uma série de seres vivos que trabalham incessantemente em conjunto para nós.

Esse equilíbrio vem sendo ameaçado pela antropomorfização do planeta. Antropo = homem. Morfo = forma. Alteração do equilíbrio pelo homem e suas formas. Por exemplo, em relação à atmosfera, nós decidimos introduzir nela quantidades enormes de gás carbônico e gás metano, entre outras coisas, criando um desequilíbrio atmosférico inegável (na verdade, podemos dizer que a humanidade hoje trabalha incessantemente para obter a mesma composição química da atmosfera dos planetas mortos do nosso sistema solar). Mas não é só isso que fazemos: destruímos os ecossistemas e a biodiversidade, que são reguladores químicos desses elementos cruciais para todas as formas de vida na Terra. No livro "Os Senhores do Clima" de James Lovelock eu li que sem a biodiversidade e os ecossistemas que regulam quimicamente a Terra, esse planeta seria uma tocha incandescente. Não estaríamos vivos.

Essa relação de dependência da vida de cada um de nós da vida de cada um dos seres vivos é que foi ignorada totalmente. É nossa grande ameaça, acharmos que criamos ambientes artificiais como cidades e estruturas humanas, quando tudo não passa de mera transformação do ambiente natural, sem que o ser humano com isso tenha sido capaz de se desvincular das leis da natureza, mesmo nessas estruturas. Nós estamos tão dependentes da natureza quanto qualquer formiga ou ser vivo da Terra. É hora do sistema educacional ensinar isso a todos e parar de omitir essa informação. De que adianta um aluno aprender a fotossíntese se ele não aprende que nossos corações só batem porque há um ser vivo na Terra capaz de armazenar a luz do sol?

Precisamos de uma dimensão mais exata do problema que estamos vivendo: a antropomorfização justificada pelas empresas e governos sob o rótulo do crescimento econômico, das exportações e geração de empregos é a rota suicida em direção ao colapso - dos seres humanos, não do planeta! Só reforçando: sem a Amazônia apenas alguns milhões de brasileiros irão sobreviver. Motivo: a Amazônia produz os recursos hídricos da maior parte do Brasil e determina o regime de chuvas. Água é o bem da vida, sem ela morreremos e da pior forma. Indo um pouco além: o aquecimento global ainda não convenceu o governo brasileiro a tomar medidas internacionais seriamente voltadas para uma mudança e um protocolo humano a favor da vida, além dessas negociações pífias como a do Kyoto. O aquecimento global será suficiente para produzir o fim da Amazônia sem nenhum pecuarista ou motosserra precisar derrubar mais árvores.

Não podemos só pensar em conter a pressão econômica doméstica e internacional sobre a Amazônia, mas também em mudar todo um sistema econômico que transformou a Terra em uma lixeira, no qual o aquecimento global é apenas um dos problemas e a consequência daquilo que estamos fazendo.

Precisamos mudar o que estamos fazendo. Do contrário, iremos todos nós, quem puder, claro, terminar essa conversa no Valhala.

Hugo Penteado



2 comentários:

Quaresma disse...

Apresentação de projeto que parte do zero para uma sociedade sustentável:

http://www.ted.com/index.php/talks/willie_smits_restores_a_rainforest.html

MCardoso disse...

Ótimo texto, infelizmente nossa cultura foi construída nos pilares da economia e consumo, mas eu acredito que chegaremos no dia em que essa consciência irá muda, espero que não seja tarde de mais.