segunda-feira, 6 de abril de 2009

O colapso do sistema financeiro e climático

Por favor se comentar deixe um email para contato.

Excelente leitura!

O colapso do sistema financeiro e climático - Thomas L. Friedman

Hugo

Um comentário:

Ana disse...

Desde o mês de março venho acompanhando alguns textos postados aqui. Como muitos, encontrei esse blog após ver a entrevista com o Hugo Penteado no programa da Marília Gabi Gabriela, e novamente na TV Cultura. Quero parabenizá-lo por seu trabalho e ações inspiradoras e realistas.
Gostaria de comentar algumas indagações que tive ao ler esse texto sobre o colapso do sistema financeiro e climático, que caiu como uma luva nos meus pensamentos recentes (acabei de assistir um documentário sobre a crise americana no GNT e achei que faltou deixar a conexão entre crise financeira e a crise dos recursos naturais mais clara). Nunca consegui entender economia ou os economistas, pois essa lógica do valor monetário mutante das coisas nunca entrou na minha cabeça.
De qulalquer modo, o que me intrigou nesse texto foram as soluções que o autor, Thomas L. Fredman, deu para as crises climática e financeira. As pessoas, principalmente os economistas, que visitam esse blog também acreditam que a “regulamentação inteligente e a tributação do carbono” podem curá-las?
Pode ser que eu não tenha lido o texto na íntegra, ou que eu não o tenha interpretado da forma correta. Eu, sinceramente, não faço a mínima idéia no que a “regulamentação inteligente” e a “tributação do carbono” ajudariam na crise financeira ou, até que ponto, na crise climática, e acredito que o buraco está bem mais embaixo no que diz respeito à crise ambiental.
Uma frase do Hugo Penteado que me marcou muito durante sua entrevista no espaço culturasl da CPFL de Campinas foi que o homem teria se esquecido de que é um animal, que faz parte da natureza. Pra mim a crise ambiental, se for superada, será de forma sofrida pra muitos, exigiria uma mudança cultural. O homem deveria sair do pedestal e demonstrar mais humildade. Lembrei do livro de ética aplicada do Peter Singer e dos defensores do vegetarianismo. Talvez eu tenha ido longe demais no pensamento do Hugo Penteado, ou não. Mas, apesar de não ser nada vegetariana, comecei a pensar como essa prátrica se encaixa nessa mudança cultural.
Meu comentário ficou um tanto confuso, que é como eu me sinto agora. Mas não quis esperar os pensamentos ficarem mais organizados. Espero comentários de quem estiver a fim de discutir alguns desses assuntos.
Um abraço a todos.

Ana
(lima.acb@gmail.com)

Último parágrafo do texto “O colapso do sistema financeiro e climático”:
“Algumas de nossas maiores empresas financeiras se afastaram de seus propósitos originais – patrocinar a inovação e financiar o processo de “destruição criativa”, pelo qual novas tecnologias que aprimoram a vida das pessoas substituem as antigas, disse Jagdish Bhagwati, economista da Universidade de Columbia, numa entrevista publicada na revista bimensal The American Interest. Em vez disso, ele acrescentou, bancos demais envolveram-se em inovações financeiras exóticas e imcompreensíveis – para só gerar dinheiro a partir do dinheiro – que acabou sendo uma “criação destrutiva”. “A criacáão destrutiva” prejudicou tanto o Mercado quanto a Mãe Natureza. A regulamentação inteligente e a tributação do carbono podem curar ambos.”