quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Proposta da ONU

Fizeram uma lavagem cerebral para a gente comer carne como se fôssemos carnívoros, só que não somos. A nossa saliva é alcalina, a do carnívoro é ácida, a carne já derrete na boca. O nosso estômago produz um pinguelo de ácido clorídrigo, o carnívoro produz quantidade dez vezez maior. Quando a carne chega no nosso intestino, percorre um percurso longuíssimo; no carnívero o trajeto é curto. Segundo os médicos, só conseguimos digerir de 30 a 40 gramas de carne a cada 3 ou 4 horas, o resto vira bolo fecal de carne podre, mandando toxinas e causando doenças diversas, entre elas o câncer. A indústria alimentícia que saqueia nosso planeta não agradece sozinha, a químico-farmacêutica também agradece!

Em relação a essa proposta da ONU eles esqueceram de avisar os chineses: o consumo de carne per capita lá aumentou 300%. De novo: a indústria alimentícia que saqueia nosso planeta não agradece sozinha, a químico-farmacêutica também agradece!

Somos um bando de pessoas que não entendemos nem a ecologia do nosso corpo, o que se dirá do planeta.

ONU propõe que se coma menos carne para lutar contra a mudança climática
da France Presse, em Londres


As pessoas deveriam reduzir o consumo de carne como contribuição pessoal para combater a mudança climática, segundo um especialista da ONU em entrevista neste domingo a um jornal britânico.
Rajenda Pachauri, presidente do IPCC (Painel Intergovernamental de Especialistas das Nações Unidas sobre Mudança Climática) declarou ao jornal "The Observer" que as pessoas deveriam começar a deixar de comer carne um dia por semana para, posteriormente, ir reduzindo ainda mais o consumo.
O economista indiano argumenta que uma mudança na dieta seria muito importante na luta contra a mudança climática porque, com a redução do consumo de carne, se reduziria também as emissões de gases de efeito estufa e problemas ambientais como a destruição de habitats naturais pela criação de gado.
O especialista de 68 anos, vegetariano convicto, oferecerá na segunda-feira uma palestra em Londres sobre "Aquecimento climático: o impacto da produção e o consumo de carne na mudança climática".
Em um relatório de 2007, o IPCC alertou que, se não forem tomadas medidas, a mudança climática provocará a fome, secas, tempestades e perdas em massa de espécies.
Este grupo ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 2007 junto com o ex-vice-presidente americano Al Gore.

Um comentário:

Lu Geiger disse...

Percebo as coisas da seguinte forma: Enquanto funcionarmos em diferentes níveis e amplitudes de consciência, nossos organismos também diferirão em suas capacidades de digerirem um alimento como a carne, em terem necessidade (ou não) de consumi-lo e em sua percepção sobre se há uma real necessidade de consumir a carne ou se só o fazem por hábito cultural.
Mas que uma proposta como a da ONU vem para abrir muitas cabeças, isso pode ser bem verdadeiro...
Abraço!