quarta-feira, 17 de junho de 2015

Aquíferos

Por favor se comentar deixe um email para contato.


Essa é a prova irrefutável do erro fatal da teoria econômica tradicional que não respeita os limites da biosfera e mantém a idéia de crescimento do PIB como salvação social e ambiental. A esse respeito, os mitos só aumentam e o mais apavorante é o da tecnologia salvadora. Um bom livro sobre isso é o Technofix - Why Technology cannot save us or the environment dos Huesemann & Huesemann.  Um outro é o Renewable Energy cannot sustain a consumer society do Ted Trainer.  Há um erro na proposição do crescimento do PIB como solução do problema social e, com a ajuda da tecnologia, evitar ou reverter o problema ambiental.  Recentemente, por causa do avanço da dessalinização, saiu um estudo do impacto ambiental desse processo e é bem negativo, mesmo sem ser feito em larga escala.

Essa questão  e outras como a água são apenas as consequências. A causa é o nosso modelo (e pensamento) econômico que parece ter atingido o seu limite com o pico de concentração de riqueza e com o esfacelamento social e ambiental daí decorrente.  Um outro livro interessante é o Consumptionomics do Chandran Nair, onde mostra como é inviável as sociedades emergentes da Ásia tentarem replicar o modelo de consumo dos países ricos. O livro Our kids mostra como as oportunidades para os mais jovens também escassearam, ou seja, estamos vivendo um momento de crise social e ambiental planetária tudo ao mesmo temo. E só haverá salvação financeira e empresarial se houver salvação ambiental.  E só vai haver salvação ambiental, se houver salvação social.  Então esse é um problema que precisa ser resolvido, a única dificuldade é que justamente aqueles que tem o poder de mudar o modelo, são justamente os que mais se beneficiam deles.

Sobre o fim dos aquíferos ou "falling water tables", Lester Brown alertou para isso durante décadas, mas não foi ouvido por ninguém.  Desde os anos 1990 suas publicações alertaram sobre a forma como retiramos mais água do subterrâneo do que a natureza é capaz de repor.  Foi com a retirada maciça da água do Ogallala nos EUA que eles esqueceram um dos maiores desastres ambientais globais que durou uma década, o "Dust Bowl".  Quando os americanos destruíram a vegetação natural de quatro estados foram atacados por tempestades violentas de areia durante dez anos, mas Franklin Delano Roosevelt interrompeu com a recuperação florestal nos anos seguintes.  Quando descobriram o Ogallala destruíram toda a vegetação novamente, mas colocaram no lugar uma agricultura que depende de um aquífero que segundo a NASA está no seu fim. 

Isso também é outro mito, porque os maiores desastres ambientais observados na Terra ocorreram nos EUA e não na China como tanto se fala hoje.  Ocorrem na China hoje porque ela copia o modelo econômico de ontem.

Hugo

Nenhum comentário: