quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Mudança zero

Por favor se comentar deixe um email para contato.

Essa gente do governo e do mundo empresarial que dita as regras da economia e da sociedade são tão incompletas intelectualmente e tão idiotas que é irritante assisti-las na sua litania sagrada do crescimento etermo, como se o planeta não importasse, como se as pessoas não importassem. Pior, a mentira é tão grande, que eles dizem se importar com as pessoas. Nada mais distante da realidade concentrada nas mãos de poucos que decidem pelo pior de todos nós anida hoje em dia e apesar de tantos alertas científicos.

Não sei se é cegueira. Se for cegueira menos mal. Se não for, meu Deus, estamos diante das piores almas que jamais houve no universo inteiro e ainda há, amigos meus que dizem, no Universo monstros piores com os quais, se não tivermos sorte ou merecimento, iremos continuar cruzando seus caminhos.

A forma como seguem com suas idéias idiotas sobre o mundo e sobre o bem estar que dizem perseguir para nós, meros mortais, beira o insuportável. Sinto repetir isso, quero que meu leitor tenha em mente que toda a prosperidade atual do mundo rico no qual quatro bilhões de seres humanos estão bem longe só existe e ainda persiste porque foi empurrado para debaixo do tapete o equivalente a bilhões de pessoas e outros milhões de quilômetros quadrados em florestas, ecossistemas, serviços da natureza e outros bichos. Somente matando a vida e a fonte da vida a prosperidade tal como ela é foi possível. O pior, essa é a única fórmula que eles têm em mente, portanto, não se enganem com o discurso bem recebido de sustentabilidade, pois não se acopla com uma real mudança de atitude de ninguém e em lugar algum. Aqueles que conseguem se ludibriar com esses sinais tão esperados do quanto estamos hoje despertos e na busca de uma mudança real, estão tão loucos quanto o sistema suicida à nossa volta.

Nada mudou. Nada aparentemente mudará enquanto os binóculos que os capitães usam para ver o mundo que querem ver, esconde a dura realidade que irá despencar sobre todos nós. Quando eles falam da China maravilhosa tal como ela é, porque irão vender até vento lá dentro para aquela população gigante e esquecem os seus descalabros sociais, ambientais e políticos, todos nós deveríamos desconfiar que não são pessoas sérias ou bem informadas.

Pouco há para ser feito senão lamentar o porquê de tanta ignorância e egoísmo e arrogância.

Nada mudou e não mudará, pelo menos esses são os únicos sinais que temos pela frente. E todo o frenesi com Copenhagen, mesmo que no melhor cenário de decisões governamentais, nada mudará, pois não temos, como tantos da elite iluminada acreditam, apenas problema de aquecimento global e energia. Eu só lamento os verdadeiros cientistas da Terra assistirem essa encenação toda sem falar nada, sem brigar para valer, porque já atingimos um ponto que como seres humanos não temos mais nada a perder. Pode ser que na verdade falam, mas suas letras não aparecem nos papéis ou painéis que todos olham. Suas letras passam ao largo da falta de consciência que existe hoje na Terra sobre o quanto estamos ameaçados, sobre quanto estamos vulneráveis e cegos.

A falta de consciência fez todos nós acreditarmos que somos deuses e não uma espécie animal. Com essa tola e injustificável crença a nosso respeito iremos terminar nossos dias da pior forma possível e de forma coletiva iremos provavelmente desaparecer da Terra que seguirá sua jornada ainda banhada em sol sem a nossa presença nefasta.

Hugo Penteado

Um comentário:

L Janz disse...

Olá amigo.

Infelizmente eu tenho a mesmíssima sensação que você. E acredite, não somos os únicos que estamos inojados e estarrecidos com toda essa colossal estupidez e descaso humana. Embora o nosso número seja quase que insignificante para mexer com a massa de sonambulos a nossa volta, ainda assim nós temos relevância ante a totalidade da vida.

Cada ser se constitui numa manifestação única da Realidade Maior, e como tal, antes de tudo, responde primeiramente pela sua própria condição e destino. Portanto, mesmo que pareça não fazermos qualquer diferença no mais amplo cenário político das mentes doentias, fazemos sim toda a diferença no que se refere ao nosso próprio futuro e aqueles que nos são próximos.

Minha visão atual, assim como a de outros mais sensíveis como nós, também é uma visão demasiado pessimista. Temos escolhido um caminho evolutivo cujo resultado pode ser verdadeiramente calamitoso. Apesar disso tudo, não devemos jamais nos esquecer de que o universo e a Realidade são muito maiores do que pode conceber a nossa pueril imaginação.

Desse modo, mesmo que a Terra em breve tempo venha a se refazer engolindo tudo em sua superfície, incluindo a nós próprios como sociedade primitiva, é preciso sempre que tenhamos em mente a vastidão incomensurável e sabedoria do universo no qual temos existência. Isto é, para aqueles de nós que alinhamos a nossa consciência em harmonia com o Cosmos, com respeito a vida e todas as demais formas de manifestação, é certo que não haverá grandes problemas.

O máximo que pode acontecer, no caso de um legítimo apocalipse global em que não mais reste condições para a existência de vida na terra, é que sejamos transmigrados para um outro ponto qualquer da galáxia a fim de que prossigamos. Já quanto aos atuais responsáveis por toda essa obscuridade e dilapidação da vida, não precisamos nos preocupar em demasia. A Inteligência Suprema sempre soube e saberá dar lugar certo a cada qual.

“Não vos aflijais pelo amanhã. A casa de meu Pai possui muitas moradas.”

Abraço Fraterno, Leonardo Janz.