quinta-feira, 26 de maio de 2011

Luto

Por favor se comentar deixe um email para contato.

Luto. Seguimos sem nada pela frente para comemorar. Nada, absolutamente nada de realmente novo na área socioambiental que mude o destino triste da humanidade, já em curso desastroso para muitos. Se há dúvida, só ir visitar os hospitais públicos. Se há dúvida, só ir visitar a Amazônia de perto e ver ela sendo queimada viva com dados escabrosamente falhos para contar o que ali está acontecendo. Evidências não faltam, não apenas o emblemático e previsível assassinato de José Cláudio Ribeiro e Maria do Espírito Santo que avisaram várias vezes que iam ser mortos. Justiça será feita? Muito pouco provável. José Cláudio disse no TEDxAmazôniaTriste. E nossa sociedade emasculada não tem poder para fazer absolutamente nada, mesmo que quisesse. Isso é o pior, não basta mudar a consciência geral das pessoas, seria necessário dar-lhes instrumentos, porque eles não existem. O ser humano foi privado de qualquer participação útil no processo. E no mundo todo. Mentes vazias cheias de desejos inúteis e pouca capacidade de mudar seu destino, decidido da pior forma possível por outrem é agora nosso principal calvário.

De: Raul Silva Telles do Vale

Assunto: desagravo ao PV - favor circular em tua lista



relendo a msg que passei, a qual vc encaminhou a tua lista, vi que fui infeliz ao citar a participação do PV no processo de votação do código florestal.

Embora pessoalmente discorde dos destaques que o PV escolheu, isso é absolutamente secundário em relação ao papel que o partido teve nessa história toda. O partido como um todo, e alguns deputados em especial (destaque para Sirkis, Sarney, Rosane, o ex-deputado Edson Duarte), foi incansável na briga, e lutou até o final.

A menção que fiz foi infeliz porque deixou transparecer que a atuação do partido foi equivocada, o que não é minha avaliação. A derrota que colhemos não foi por causa do PV, mas apesar dele. Penso apenas que os destaques poderiam ter sido outros, sobre os quais teria como argumentar melhor, mas, como disse, isso é mais do que secundário no processo, pois mesmo que fossem aqueles que pessoalmente julgo ótimos, e mesmo que houvesse uma argumentação perfeita, ainda assim seriam derrotados naquela correlação de forças.

Assim, por uma questão de justiça, e já que a mensagem acabou circulando para além do público interno ao qual se destinava originariamente, peço que circule também esse justo desagravo para não deixar mals entendidos.

abs

Raul Silva Telles do Valle
Advogado
Coordenador Adjunto
Programa Política e Direito Socioambiental
Instituto Socioambiental
www.socioambiental.org


Citando Raul Silva Telles do Vale :

Ontem foi um dia vergonhoso. O velho Brasil do correntão, da pistolagem, do nacionalismo predatório, venceu um round. O Brasil "real" se impôs ao Brasil que queremos.

O assassinato do casal de extrativistas no Pará, Zé Claudio e Maria do Espirito Santo, foi um anúncio de que o Brasil real está bem vivo. Na disputa com madeireiros, aliados de sempre dos futuros pecuaristas "extensivos", o casal, ameaçado há tempos, tombou. Hoje os jornais estão divulgando esse brutal assassinato, e vamos fazer uma notícia a respeito, com mais informações, pois por enquanto não temos muitas.

Na Câmara dos Deputados esse Brasil real se manifestou com o mesmo nível de brutalidade. Nossos representantes aprovaram por 410 votos favoráveis, contra 63 contrários, o texto "das pegadinhas" apresentado por Aldo Rebelo há duas semanas (abaixo a lista dos votantes). Não contentes com isso, e com apoio maciço de PMDB/DEM/PSDB/PCdoB (blocão dos gente fina), aprovaram ainda a emenda 164, que, em resumo, acaba com as APPs no país. Essa emenda diz que qualquer atividade agrosilvipastoril (agrícola, pecuária ou silvicultural), bem como outras (quais?) definidas pelos estados, pode ser permitida em APPs, no passado (até 2008) e no futuro. Ou seja, se eu quiser derrubar uma encosta ou beira de rio para colocar pasto (produção de carne/leite), a lei está autorizando.

Eu sinceramente achei boa a aprovação dessa emenda. Se ela fosse derrotada, corríamos o risco de que fosse passada a imagem à sociedade de que o mal maior teria sido afastado e que o texto-base aprovado está "razoável", já que contou com o apoio do governo. Pelo menos agora, com uma emenda absurda, e que foi aprovada contrariando a orientação de governo, temos alguma chance de que o Planalto se mexa a tempo para que a história no Senado seja diferente, ou seja, para que um novo texto seja produzido, pois do jeito que está ou veta tudo ou seremos o primeiro país do mundo a deixar de ter uma legislação de proteção às florestas. Porque o texto-base é isso: uma não legislação.

O destaque da noite ficou para o discurso desastroso do Vacarezza. Nunca vi uma coisa daquelas. Pessoalmente penso que ele fez de propósito, pois não pode ser tão imbecil. Pra quem não acompanhou, ele, para defender a derrubada da emenda 164, ameaçou o plenário com o veto e, mais, disse que num regime presidencialista o parlamento "perde" e é "menor" quando contraria uma ordem do presidente (!).
Foi a senha para que a oposição (e o PMDB) subissem no palanque e transformasse o assunto em uma disputa entre poderes, mais do que entre governo x oposição ou ambientalistas x ruralistas.

Mas outro destaque ficou para o PT. Diante da notícia, vinda ainda de manhã, que Aldo não mudaria uma vírgula do relatório apresentado (ele já sabia que qquer coisa que apresentasse seria aprovada), o partido teve que decidir qual posição adotar. Foi pra votação interna. O Governo, pasmem, orientou votar favoravelmente ao texto do Aldo, mesmo com ele discordando. A senha era "muda no senado, mas precisamos votar as MPs que estão para vencer". Com base nisso, e numa discussão acirrada, ganhou a posição de aprovar o texto do Aldo, por 27 a 24. Quem viu o discurso do Paulo Teixeira sem saber dessa prévia não entendeu nada. Ele disse que o texto precisava de várias modificações, mas que seria modificado no Senado. Ele mesmo acabou votando favoravelmente ao texto, assim como o Vacarezza.
Ainda assim tivemos 35 votos do PT. E na votação da emenda 164, quase todos do PT (menos um cara do AC).
Por fim, devo ressaltar que PV e PSOL até que tentaram, mas não conseguiram. A meu ver, mesmo no PV, faltou quem pudesse argumentar com propriedade para defender a rejeição do texto e a aprovação dos destaques - pessimamente escolhidos - que fizeram. O PSOL conseguiu fazer uma argumentação melhor.

No final, a cena foi o Lupion beijando o Aldo. Todos muito felizes, pois conseguiram aprovar a emenda que dava a eles o que faltava no texto-base. Na galeria, agroboys engravatados aplaudindo, enquanto o pessoal da FETRAF, CUT e CONTAG (até a CONTAG) cabisbaixos. Nós, então, não preciso nem dizer.

Ainda amanhã faremos uma reunião para avaliação e planejamento dos próximos passos. Ainda temos o Senado, onde há alguma chance de mudança caso o Governo queira. E onde podemos trabalhar melhor. Mas o quórum de ontem da câmara é suficiente para derrubar qquer modificação no senado e, inclusive, um veto presidencial. Ou o governo entrar duro, ou vai ser jantado novamente. Tudo depende da prioridade que dará ao tema. Até o momento, embora ascendente, foi baixa.

abs

Raul Silva Telles do Valle
Advogado
Coordenador Adjunto
Programa Política e Direito Socioambiental
Instituto Socioambiental
www.socioambiental.org


----- Mensagem encaminhada -----
De: "Renata A. Alves"
Enviadas: Quarta-feira, 25 de Maio de 2011 9:51:07 (GMT-0300) Auto-Detected
Assunto: Codigo Floretal: deputados a favor e contra

http://congressoemfoco.uol.com.br/noticia.asp?cod_canal=1&cod_publicacao=37176
Veja como cada deputado votou o texto-base do relatório de Aldo
Rebelo sobre o novo Código Florestal:

> DEM
> Abelardo Lupion PR Sim
> Alexandre Leite SP Sim
> Antonio Carlos Magalhães Neto BA Sim
> Arolde de Oliveira RJ Sim
> Augusto Coutinho PE Sim
> Claudio Cajado BA Sim
> Davi Alcolumbre AP Sim
> Eduardo Sciarra PR Sim
> Efraim Filho PB Sim
> Eleuses Paiva SP Sim
> Eli Correa Filho SP Sim
> Fábio Souto BA Sim
> Felipe Maia RN Sim
> Ferna ndo Torres BA Sim
> Guilherme Campos SP Sim
> Heuler Cruvinel GO Sim
> Hugo Napoleão PI Sim
> Irajá Abreu TO Sim
> Jairo Ataide MG Sim
> Jorge Tadeu Mudalen SP Sim
> José Nunes BA Sim
> Júlio Campos MT Sim
> Júlio Cesar PI Sim
> Junji Abe SP Sim
> Lira Maia PA Sim
> Luiz Carlos Setim PR Sim
> Mandetta MS Sim
> Marcos Montes MG Sim
> Mendonça Prado SE Sim
> Onofre Santo Agostini SC Sim
> Pauderney Avelino AM Sim
> Paulo Cesar Quartiero RR Sim
> Paulo Magalhães BA Sim
> Professora Dorinha Seabra Rezende TO Sim
> Rodrigo Maia RJ Sim
> Ronaldo Caiado GO Sim
> Vitor Penido MG Sim
> Walter Ihoshi SP Sim
> Total DEM: 38
>
> PCdoB
> Aldo Rebelo SP Sim
> Alice Portugal BA Sim
> Assis Melo RS Sim
> Chico Lopes CE Sim
> Daniel Almeida BA Sim
> Delegado Protógenes SP Sim
> Edson Pimenta BA Sim
> Evandro Milhomen AP Sim
> Jandira Feghali RJ Sim
> Jô Moraes MG Sim
> Luciana Santos PE Sim
> Manuela D`Ávila RS Sim
> Osmar Júnior PI Sim
> Perpétua Almeida AC Sim
> Total PCdoB: 14
>
> PDT
> Ademir Camilo MG Sim
> André Figueiredo CE Sim
> Ângelo Agnolin TO Sim
> Brizola Neto RJ Não
> Damião Feliciano PB Sim
> Dr. Jorge Silva ES Sim
> Enio Bacci RS Sim
> Felix Mendonça Júnior BA Sim
> Flávia Morais GO Sim
> Giovani Cherini RS Sim
> Giovanni Queiroz PA Sim
> João Dado SP Sim
> José Carlos Araújo BA Sim
> Manato ES Sim
> Marcelo Matos RJ Sim
> Marcos Medrado BA Sim
> Miro Teixeira RJ Não
> Oziel Oliveira BA Sim
> Paulo Pereira da Silva SP Sim
> Paulo Rubem Santiago PE Não
> Reguffe DF Não
> Salvador Zimbaldi SP Sim
> Sebastião Bala Rocha AP Obstrução
> Sueli Vidigal ES Sim
> Vieira da Cunha RS Não
> Wolney Queiroz PE Sim
> Zé Silva MG Sim
> Total PDT: 27
>
> PHS
> Felipe Bornier RJ Sim
> José Humberto MG Sim
> Total PHS: 2
>
> PMDB
> Adrian RJ Sim
> Alberto Filho MA Sim
> Alceu Moreira RS Sim
> Alexandre Santos RJ Sim
> Almeida Lima SE Sim
> André Zacharow PR Sim
> Aníbal Gomes CE Sim
> Antônio Andrade MG Sim
> Arthur Oliveira Maia BA Sim
> Átila Lins AM Sim
> Benjamin Maranhão PB Sim
> Camilo Cola ES Sim
> Carlos Bezerra MT Sim
> Celso Maldaner SC Sim
> Danilo Forte CE Sim
> Darcísio Perondi RS Sim
> Edinho Araújo SP Sim
> Edinho Bez SC Sim
> Edio Lopes RR Sim
> Edson Ezequiel RJ Sim
> Eduardo Cunha RJ Sim
> Elcione Barbalho PA Sim
> Fabio Trad MS Sim
> Fátima Pelaes AP Sim
> Fernando Jordão RJ Sim
> Flaviano Melo AC Sim
> Francisco Escórcio MA Sim
> Gastão Vieira MA Sim
> Gean Loureiro SC Sim
> Genecias Noronha CE Sim
> Geraldo Resende MS Sim
> Henrique Eduardo Alves RN Sim
> Hermes Parcianello PR Sim
> Hugo Motta PB Sim
> Íris d e Araújo GO Sim
> João Arruda PR Sim
> João Magalhães MG Sim
> Joaquim Beltrão AL Sim
> José Priante PA Sim
> Júnior Coimbra TO Sim
> Leandro Vilela GO Sim
> Lelo Coimbra ES Sim
> Luciano Moreira MA Sim
> Lucio Vieira Lima BA Sim
> Luiz Otávio PA Sim
> Manoel Junior PB Sim
> Marcelo Castro PI Sim
> Marinha Raupp RO Sim
> Marllos Sampaio PI Sim
> Mauro Benevides CE Sim
> Mauro Mariani SC Sim
> Mendes Ribeiro Filho RS Sim
> Moacir Micheletto PR Sim
> Natan Donadon RO Sim
> Nelson Bornier RJ Sim
> Newton Cardoso MG Sim
> Nilda Gondim PB Sim
> Osmar Serraglio PR Sim
> Osmar Terra RS Sim
> Paulo Piau MG Sim
> Pedro Chaves GO Sim
> Professor Setimo MA Sim
> Raimundão CE Sim
> Raul Henry PE Sim
> Reinhold Stephanes PR Sim
> Renan Filho AL Sim
> Rogério Peninha Mendonça SC Sim
> Ronaldo Benedet SC Sim
> Rose de Freitas ES Sim
> Saraiv a Felipe MG Sim
> Solange Almeida RJ Sim
> Valdir Colatto SC Sim
> Washington Reis RJ Sim
> Wladimir Costa PA Sim
> Total PMDB: 74
>
> PMN
> Dr. Carlos Alberto RJ Sim
> Fábio Faria RN Sim
> Jaqueline Roriz DF Sim
> Walter Tosta MG Sim
> Total PMN: 4
>
> PP
> Afonso Hamm RS Sim
> Aguinaldo Ribeiro PB Sim
> Arthur Lira AL Sim
> Beto Mansur SP Sim
> Carlos Magno RO Sim
> Carlos Souza AM Sim
> Cida Borghetti PR Sim
> Dilceu Sperafico PR Sim
> Dimas Fabiano MG Sim
> Eduardo da Fonte PE Sim
> Esperidião Amin SC Sim
> Gladson Cameli AC Sim
> Iracema Portella PI Sim
> Jair Bolsonaro RJ Sim
> Jeronimo Goergen RS Sim
> José Linhares CE Sim
> José Otávio Germano RS Sim
> Lázaro Botelho TO Sim
> Luis Carlos Heinze RS Sim
> Luiz Argôlo BA Sim
> Luiz Fernando Faria MG Sim
> Márcio Reinaldo Moreira MG Sim
> Missionário José Olimpio SP Sim
> Nelson Meurer PR Sim
> Neri Geller MT Sim
> Paulo Maluf SP Sim
> Raul Lima RR Sim
> Rebecca Garcia AM Sim
> Renato Molling RS Sim
> Roberto Balestra GO Sim
> Roberto Britto BA Sim
> Rober to Dorner MT Sim
> Roberto Teixeira PE Sim
> Sandes Júnior GO Sim
> Simão Sessim RJ Sim
> Toninho Pinheiro MG Sim
> Vilson Covatti RS Sim
> Waldir Maranhão MA Sim
> Zonta SC Sim
> Total PP: 39
>
> PPS
> Arnaldo Jardim SP Sim
> Arnaldo Jordy PA Não
> Augusto Carvalho DF Sim
> Carmen Zanotto SC Sim
> César Halum TO Sim
> Dimas Ramalho SP Sim
> Geraldo Thadeu MG Sim
> Moreira Mendes RO Sim
> Roberto Freire SP Não
> Rubens Bueno PR Sim
> Sandro Alex PR Sim
> Stepan Nercessian RJ Sim
> Total PPS: 12
>
> PR
> Aelton Freitas MG Sim
> Anthony Garotinho RJ Sim
> Aracely de Paula MG Sim
> Bernardo Santana de Vasconcellos MG Sim
> Diego Andrade MG Sim
> Dr. Adilson Soares RJ Sim
> Dr. Paulo César RJ Não
> Francisco Floriano RJ Sim
> Giacobo PR Sim
> Giroto MS Sim
> Gorete Pereira CE Sim
> Henrique Oliveira AM Sim
> Homero Pereira MT Sim
> Inocêncio Oliveira PE Sim
> Izalci DF Sim
> João Carlos Bacelar BA Sim
> João Maia RN Sim
> José Rocha BA Sim
> Laercio Oliveira SE Sim
> Liliam Sá RJ Não
> Lincoln Portela MG Sim
> Lúcio Vale PA Sim
> Maurício Quintella Lessa AL Sim
> Maurício Trindade BA Sim
> Neilton Mulim RJ Sim
> Paulo Freire SP Sim
> Ronaldo Fonseca DF Sim
> Sandro Mabel GO Sim
> Tiririca SP Sim
> Vicente Arruda CE Sim
> Wellington Fagundes MT Sim
> Welling ton Roberto PB Sim
> Zoinho RJ Sim
> Total PR: 33
>
> PRB
> Acelino Popó BA Sim
> Antonio Bulhões SP Sim
> George Hilton MG Sim
> Heleno Silva SE Sim
> Jhonatan de Jesus RR Sim
> Jorge Pinheiro GO Sim
> Márcio Marinho BA Sim
> Otoniel Lima SP Sim
> Ricardo Quirino DF Sim
> Vilalba PE Sim
> Vitor Paulo RJ Sim
> Total PRB: 11
>
> PRP
> Jânio Natal BA Sim
> Total PRP: 1
>
> PRTB
> Aureo RJ Sim
> Vinicius Gurgel AP Sim
> Total PRTB: 2
>
> PSB
> Abelardo Camarinha SP Sim
> Ana Arraes PE Sim
> Antonio Balhmann CE Sim
> Ariosto Holanda CE Sim
> Audifax ES Não
> Domingos Neto CE Sim
> Dr. Ubiali SP Sim
> Edson Silva CE Sim
> Fernando Coelho Filho PE Sim
> Gabriel Chalita SP Sim
> Givaldo Carimbão AL Sim
> Glauber Braga RJ Não
> Gonzaga Patriota PE Sim
> Jefferson Campos SP Sim
> Jonas Donizette SP Sim
> José Stédile RS Sim
> Júlio Delgado MG Sim
> Keiko Ota SP Sim
> Laurez Moreira TO Sim
> Leopoldo Meyer PR Sim
> Luiz Noé RS Sim
> Luiza Erundina SP Não
> Mauro Nazif RO Sim
> Pastor Eurico PE Sim
> Paulo Foletto ES Sim
> Ribamar Alves MA Sim
> Romário RJ Sim
> Sandra Rosado RN Sim
> Valadares Filho SE Sim
> Valtenir Pereira MT Sim
> Total PSB: 30
>
> PSC
> Andre Moura SE Sim
> Antônia Lúcia AC Sim
> Carlos Eduardo Cadoca PE Sim
> Deley RJ Não
> Edmar Arruda PR Sim
> Erivelton Santana BA Sim
> Filipe Pereira RJ Sim
> Hugo Leal RJ Sim
> Lauriete ES Sim
> Marcelo Aguiar SP Sim
> Nelson Padovani PR Sim
> Pastor Marco Feliciano SP Sim
> Ratinho Junior PR Sim
> Sérgio Brito BA Sim
> Silas Câmara AM Sim
> Stefano Aguiar MG Sim
> Takayama PR Sim
> Zequinha Marinho PA Sim
> Total PSC: 18
>
> PSDB
> Alfredo Kaefer PR Sim
> André Dias PA Sim
> Andreia Zito RJ Sim
> Antonio Carlos Mendes Thame SP Sim
> Antonio Imbassahy BA Sim
> Berinho Bantim RR Sim
> Bonifácio de Andrada MG Sim
> Bruna Furlan SP Sim
> Bruno Araújo PE Sim
> Carlaile Pedrosa MG Sim
> Carlos Alberto Leréia GO Sim
> Carlos Brandão MA Sim
> Carlos Roberto SP Sim
> Carlos Sampaio SP Sim
> Cesar Colnago ES Sim
> Delegado Waldir GO Sim
> Domingos Sávio MG Sim
> Duarte Nogueira SP Sim
> Dudimar Paxiúba PA Sim
> Eduardo Azeredo MG Sim
> Eduardo Barbosa MG Sim
> Hélio Santos MA Sim
> João Campos GO Sim
> Jorginho Mello SC Sim
> Jutahy Junior BA Sim
> Luiz Carlos AP Sim
> Luiz Fernando Machado SP Sim
> Luiz Nishimori PR Sim
> Manoel Salviano CE Sim
> Mara Gabrilli SP Sim
> Marcio Bittar AC Sim
> Marcus Pestana MG Sim
> Nelson Marchezan Junior RS Sim < br>Otavio Leite RJ Sim
> Paulo Abi-Ackel MG Sim
> Pinto Itamaraty MA Sim
> Raimundo Gomes de Matos CE Sim
> Reinaldo Azambuja MS Sim
> Ricardo Tripoli SP Não
> Rodrigo de Castro MG Abstenção
> Rogério Marinho RN Sim
> Romero Rodrigues PB Sim
> Rui Palmeira AL Sim
> Ruy Carneiro PB Sim
> Valdivino de Oliveira GO Sim
> Vanderlei Macris SP Sim
> Vaz de Lima SP Sim
> Wandenkolk Gonçalves PA Sim
> William Dib SP Sim
> Total PSDB: 49
>
> PSL
> Dr. Francisco Araújo RR Sim
> Dr. Grilo MG Sim
> Total PSL: 2
>
> Psol
> Chico Alencar RJ Não
> Ivan Valente SP Não
> Total Psol: 2
>
> PT
> Alessandro Molon RJ Não
> Amauri Teixeira BA Não
> André Vargas PR Sim
> Angelo Vanhoni PR Sim
> Antônio Carlos Biffi MS Não
> Arlindo Chinaglia SP Sim
> Artur Bruno CE Não
> Assis do Couto PR Sim
> Benedita da Silva RJ Sim
> Beto Faro PA Sim
> Bohn Gass RS Sim
> Cândido Vaccarezza SP Sim
> Carlinhos Almeida SP Sim
> Carlos Zarattini SP Sim
> Chico D`Angelo RJ Não
> Cláudio Puty PA Não
> Décio Lima SC Sim
> Devanir Ribeiro SP Sim
> Domingos Dutra MA Não
> Dr. Rosinha PR Não
> Edson Santos RJ Sim
> Eliane Rolim RJ Sim
> Emiliano José BA Sim
> Erika Kokay DF Não
> Eudes Xavier CE Não
> Fátima Bezerra RN Não
> Fernando Ferro PE Não
> Fernando Marroni RS Não
> Francisco Praciano AM Não
> Gabriel Guimarães MG Sim
> Geraldo Simões BA Sim
> Gilmar M achado MG Sim
> Henrique Fontana RS Não
> Janete Rocha Pietá SP Não
> Jesus Rodrigues PI Não
> Jilmar Tatto SP Não
> João Paulo Lima PE Não
> João Paulo Cunha SP Sim
> Jorge Boeira SC Sim
> José De Filippi SP Sim
> José Guimarães CE Sim
> José Mentor SP Sim
> Joseph Bandeira BA Sim
> Josias Gomes BA Sim
> Leonardo Monteiro MG Não
> Luci Choinacki SC Sim
> Luiz Alberto BA Não
> Luiz Couto PB Sim
> Márcio Macêdo SE Não
> Marco Maia RS Art. 17
> Marcon RS Não
> Marina Santanna GO Não
> Miriquinho Batista PA Sim
> Nazareno Fonteles PI Não
> Nelson Pellegrino BA Sim
> Newton Lima SP Não
> Odair Cunha MG Sim
> Padre João MG Não
> Padre Ton RO Não
> Paulo Pimenta RS Não
> Paulo Teixeira SP Sim
> Pedro Eugênio PE Sim
> Pedro Uczai SC Não
> Policarpo DF Sim
> Pro fessora Marcivania AP Não
> Reginaldo Lopes MG Sim
> Ricardo Berzoini SP Sim
> Rogério Carvalho SE Não
> Ronaldo Zulke RS Sim
> Rui Costa BA Sim
> Ságuas Moraes MT Sim
> Sérgio Barradas Carneiro BA Sim
> Sibá Machado AC Não
> Taumaturgo Lima AC Sim
> Valmir Assunção BA Não
> Vicente Candido SP Sim
> Vicentinho SP Sim
> Waldenor Pereira BA Não
> Weliton Prado MG Sim
> Zé Geraldo PA Sim
> Zeca Dirceu PR Sim
> Total PT: 81
>
> PTB
> Alex Canziani PR Sim
> Antonio Brito BA Sim
> Arnaldo Faria de Sá SP Sim
> Arnon Bezerra CE Sim
> Celia Rocha AL Sim
> Danrlei De Deus Hinterholz RS Sim
> Eros Biondini MG Sim
> João Lyra AL Sim
> Jorge Corte Real PE Sim
> José Augusto Maia PE Sim
> José Chaves PE Sim
> Josué Bengtson PA Sim
> Jovair Arantes GO Sim
> Nelson Marquezelli SP Sim
> Nilton Capixaba RO Sim
> Paes Landim PI Sim
> Ronaldo Nogueira RS Sim
> Sabino Castelo Branco AM Sim
> Sérgio Moraes RS Sim
> Silvio Costa PE Sim
> Walney Rocha RJ Sim
> Total PTB: 21
>
> PTC
> Edivaldo Holanda Junior MA Sim
> Total PTC: 1
>
> PTdoB
> Cristiano RJ Sim
> Lourival Mendes MA Sim
> Luis Tibé MG Sim
> Total PTdoB: 3
>
> PV
> Alfredo Sirkis RJ Não
> Antônio Roberto MG Não
> Dr. Aluizio RJ Não
> Fábio Ramalho MG Não
> Guilherme Mussi SP Não
> Lindomar Garçon RO Não
> Paulo Wagner RN Não
> Ricardo Izar SP Não
> Roberto de Lucena SP Não
> Roberto Santiago SP Não
> Rosane Ferreira PR Não
> Sarney Filho MA Não
> Total PV: 12

A terra se move

Por favor se comentar deixe um email para contato.

Míriam Leitão - Panorama Econômico

A Terra se move


Terça foi um dia devastador. Foi desmoralizante a derrota dos ambientalistas e de todos os que defendem uma modernização das práticas agrícolas no Brasil na votação do Código Florestal na Câmara dos Deputados. Os ruralistas conseguiram tudo o que queriam. Dois defensores da floresta foram assassinados no Pará e, mesmo depois de mortos, vaiados no Congresso. Foi também o dia da morte de um lutador contra o racismo. Era uma delícia conversar com Abdias Nascimento, ouvir suas histórias, e ver que, tendo nascido em 1914, em 2011 ele ainda combatia as lutas que atravessaram sua

vida. Sua convicção era que o racismo brasileiro divide a sociedade de uma forma dolorosa para quem vive o preconceito; mas continua invisível

e negada por uma parte do país. Abdias foi um agitador cultural e produtor de ideias. Começou a defender teses de ação afirmativa antes que o conceito existisse, nos anos 1940. Nas várias trincheiras em que atuou — teatro, cinema, jornalismo, artes plásticas, política — era o mesmo Abdias: o que sustentava que sim o racismo existe entre nós, disfarçado às vezes, explícito outras, e que com todas as suas artimanhas ele apequena o Brasil. As notícias dos acontecimentos no Congresso me lembraram os clubes da lavoura dos tempos do Império. Naquela ordem escravagista, o abolicionismo era tratado como ideia que destruiria a capacidade produtiva do país. Montados como centrais de lobby para a defesa da escravidão, os clubes da

lavoura sustentavam que o país se consumiria sem a escravidão.De vez em quando o Brasil segue a ordem de evitar o progresso. Contudo, a Terra

se move. Por seis anos os abolicionistas, monarquistas ou republicanos, lutaram, com o apoio do Imperador, até que conseguiram aprovar a Lei do Ventre Livre. Fazendo apenas o cálculo econômico: foi uma insensatez a escolha que o Brasil começou a fazer na noite da terça-feira. O Brasil é grande e competitivo produtor de alimentos. Continuaria a ser, com mais segurança, se tivesse escolhido o caminho da conciliação com o meio ambiente. Mas ele escolheu, até agora, aceitar o desmatamento, anular as multas a grileiros e desmatadores, deixar aos estados decisões sobre áreas de preservação, reduzir a proteção das florestas e remanescentes de matas que ainda temos em outros biomas. Os cientistas alertaram que este caminho é perigoso. A Agência de Águas avisou dos riscos. Ex-ministros que serviram a partidos, governos e regimes diferentes se uniram. Mas o recado da Câmara foi eloquente: venceu o clube de lavoura. Há produtores com visão moderna, mas para eles o silêncio foi conveniente. Apareceram para falar uns poucos, como o bravo Marcos Palmeira, que refaz seu pedaço de Mata Atlântica e supre supermercados do Rio com alimento orgânico enquanto espalha informações sobre novas práticas. Mas os grandes produtores que entendem a necessidade do equilíbrio entre produção e proteção, preferiam

soltar a tropa de choque do pior ruralismo. A oposição não se opôs; o partido do governo se partiu. Símbolo de um dia em que o passado engoliu o futuro foi o momento em que os ruralistas, em plenário, e sua claque, nas galerias, vaiaram vítimas de um assassinato. José Cláudio Ribeiro e Maria

do Espírito Santo foram mortos em emboscada no Pará. Um detalhe macrabro: os assassinos arrancaram a orelha de José Cláudio. Os dois eram

líderes de projetos extrativistas. Lutavam, entre outras causas, para proteger a Castanheira, árvore que por lei não pode ser derrubada. Tinham

20 hectares em Nova Ipixuna com 80% da área preservada. Juntos com outros 500 pequenos produtores extraíam óleos vegetais, cupuaçu e açaí. Estavam ameaçados e foram mortos por denunciar desmatamento para a produção de carvão e formação de pasto. O carvão está na cadeia produtiva da siderurgia, entre outras. Os pastos estão na produção da proteína animal. No mundo inteiro a tendência da hora é limpar a cadeia produtiva. Grandes empresas sabem que perdem mercado e consumidores se não fiscalizarem a sua lista de fornecedores. A hora da verdade chegou. No mundo inteiro há consumidores se perguntando como são feitos os produtos que consomem e que tipo de prática eles legalizam nas suas compras. Foi a pressão de consumidores que levou à moratória da soja. Foi a coalizão entre supermercados, consumidores, Ministério Público e ONGs que levou

ao pacto da carne legal; uma ideia ainda não realizada. O maior produtor de carne do Brasil, o JBS-Friboi, me disse que não tem como controlar sua cadeia produtiva. O BNDES, gestor do Fundo Amazônia, é hoje o maior acionista do JBS. Tudo isso vai alimentar as barreiras contra o comércio externo brasileiro. A derrubada de todas as barreiras, camufladas ou não, à ascensão dos negros tornará a economia mais forte. A inclusão da preocupação ambiental na produção agrícola vai aumentar a capacidade do Brasil de competir por mercados mundo afora, dará ao consumidor o conforto de um produto limpo, e protegerá a vocação agrícola do país das mudanças climáticas. Os clubes da lavoura estavam errados no século XIX. Os ruralistas vitoriosos de terçafeira estão errados. Contudo, a Terra se move.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

GRAÇAS A DEUS AMBIENTALISMO ESTÁ MORTO

Por favor se comentar deixe um email para contato.

Embora o movimento tenha tido pessoas muito sérias e muito bem fundamentadas e isso há mais de 70 anos, a burrice humana foi vencedora e o movimento fracassou totalmente. A idéia de fracasso deixa todos atônitos, ninguém quer reconhecer isso, mas essa pode ser a dura realidade dos ganhos obtidos com o aumento da preocupação científica com o meio ambiente e o planeta, do qual dependemos para viver.

Não houve mudança alguma desde quando pessoas da mais alta estirpe começaram a mostrar onde iríamos desembocar caso não mudássemos nossa visão de mundo.

Não mudamos, já estamos desembocando exatamente onde eles apontaram.

O fracasso do movimento ambientalista precisa ser entendido, pois como mensagem, mudança, ele foi muita vezes apropriado por oportunistas e a relação direta entre ambientalista e pessoa de bem não pode nem deveria jamais ser feita. Se não entendermos porque ele não vingou até agora, ele jamais irá vingar. Esse é um exercício importantíssimo. Eu vejo agora o fracasso do modelo econômico imposto aos quatro cantos do orbe como uma grande restrição para o avanço do movimento ambiental e sustentabilidade, porque o eixo de prioridades não mudou e num momento de mal funcionamento das economias, a prioridade - crescimento econômico - ganha apoiadores frenéticos e quase em colapso mental (como se o crescimento das economias estivesse voltado para trazer mais bem estar às pessoas - se tal informação fosse verdadeira, não haveria praticamente nenhum apoiador tão frenético assim).

O pior foi o ambientalismo radical que em nada se diferencia do economicismo dominante nesse planeta. O extremo ambientalista só vê a natureza, não vê as pessoas nem a economia. O extremo econômico só vê a economia, não vê as pessoas nem a natureza. Tudo separado. Notem que pessoas não são vistas em lugar algum.

Na verdade grande parte do movimento ambientalista caiu no mesmo erro de várias áreas de atuação humana, exemplificado muito bem na parábola do rinoceronte de Monteiro Lobato: numa determinada cidade fugiu um rinoceronte e imediatamente foi criado um órgão para sua recaptura. A única finalidade desse órgão era jamais achar o bicho, para não perder a necessidade de continuar existindo. A única forma de se fazer isso hoje, quando o assunto é sustentabilidade e mudança do paradigma de desenvolvimento e da economia é ignorar às óbvias relações causais e jamais atacá-las, apenas dourar a pílula, criando "triple bottom line", economia do baixo carbono, energia limpa, produtividade e tecnologia, etc.

Mas contra a verdade das relações causais pouco poderemos fazer. E muito sofreremos. É realmente "the age of stupid[ity]", nem tanto pelos que vêem o tsunami pela frente, mas muito mais pelos que o ignoram como no da Ásia em 2004, onde os seres humanos foram os únicos bichos que morreram...

Hugo Penteado

Robert J. Cabin

Robert J. Cabin

Professor of ecology and environmental science, Brevard College

GET UPDATES FROM Robert J. Cabin

Thank God Environmentalism Is Dead

Posted: 05/18/11 02:55 PM ET HUFFPOSTGREEN

A recent Gallup poll found "historically low levels of public worry about environmental problems," and more than a third of those polled believe the environmental movement "has done more harm than good." Once upon a time, Americans responded to environmental disasters by passing landmark laws like the Clean Air Act. Now it seems our support for the environment decreases with each new oil spill. What happened?

The Fossil Fuel Industry/Corrupt Politicians/McMedia Complex undoubtedly deserve some credit for this surreal situation. Environmentalists may also be faulted for their continuing elitism and hypocrisy -- we tend to care far more about remote wildernesses than inner city drinking water, and are all for wind turbines until someone wants to put them in our backyard. But all these problems were around when environmental catastrophes galvanized rather than eroded the public's support for progressive environmental policies.

One thing that has changed is the rising influence of the Christian Right, which appears to have helped convince an increasing number of Americans that there is no need to worry about urgent environmental problems such as climate change because "God has the reins, and He will save us."

2011-05-18-God1.jpg

Robert Cabin

Such thinking is skillfully nurtured and inflamed by some powerful evangelical Christian organizations and their often well-heeled allies. For example, as detailed in a Huffington Post blog last December, several conservative Christian leaders recently joined with the Cornwall Alliance to promoteResisting The Green Dragon, a 12-part DVD series featuring prominent religious leaders bashing the environmental movement for "seducing and scaring" our children and "trumpeting exaggerations and myths." They and other Christian Right leaders also accuse environmentalists of "worshiping the creation rather than the Creator" and believing that humans should "serve the earth rather than the other way around."

Another recent article noted that the Cornwall Alliance, Focus on the Family and other conservative groups are now pushing Resisting the Green Dragon: Dominion, Not Death, a new book about environmentalists' "anti-human" and "anti-Christian" philosophies. Among many other things, this book claims that:

• Savage wolves have come to be among the church... No one can serve two masters...

• The Litany of the Green Dragon provides some certainty for people without God, who drift steadily from their rational moorings...

• Christians must resist Green overtures to recast true religion, nor allow themselves to be prey for teachers of pagan heresies...

• We humans are special creatures, in a class of our own, quite separate from, and superior to, trees and animals...

Many religious leaders and scholars within and outside the Christian church have denounced such anti-environmental theology. For instance, Fred Bahnson, a former Kellogg Food & Society Fellow and graduate of Duke Divinity School, stated that "The Cornwall Alliance is dressing up right-wing ideology and baptizing it with their own wacky brand of religiosity, a small-minded and incipient religiosity at that."

Dr. Benjamin Zeller, Professor of Religious Studies at Brevard College and author of a recent book about new religious movements, argued that this extreme anti-environmentalism within some evangelical communities stems from their belief that "sin" is a personal rather than social evil. Consequently, their theological worldview is that because "God controls history and nature, everything happens according to His plans. Their language is also less carefully developed theology than emotional attacks meant to appeal to the "us/them" thinking that is prevalent among all fundamentalists."

Yet despite such criticisms and the good work of more moderate, pro-environment Christian groups, until the larger environmental movement more effectively counters this kind of extreme anti-environmental theology, neither more tornadoes nor floods nor oil spills may awaken the Green Dragon and catalyze us into action again.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Ibama chama agentes do Brasil todo para a Amazônia

Por favor se comentar deixe um email para contato.

A explosão no desmatamento na Amazônia fez o Ibama suspender todas as suas operações de fiscalização no país para concentrar esforços na contenção da derrubada.

O governo acredita que o pulo nos índices de desmate é resultado da perspectiva de afrouxamento da legislação com o novo Código Florestal.

A determinação do Ibama foi baixada na segunda-feira, num memorando às superintendências de todo o país.

O documento, obtido pela Folha, determina que todas as operações de fiscalização do PNAPA (o plano anual de operação do Ibama) que não tenham relação com o combate ao desmatamento na Amazônia sejam suspensas. Para 2011, o programa tinha 1.300 operações previstas.

"Não adianta combater o tráfico de animais, por exemplo, se o habitat deles foi para o saco", diz o presidente do Ibama, Curt Trennepohl. "Foi a decisão mais lógica. Temos de estancar a hemorragia em Mato Grosso."

Agentes dos Estados também estão sendo deslocados em massa para a Amazônia. Segundo Trennepohl, há cerca de 520 homens na região agora. O número deve crescer, já que só do Rio Grande do Sul, nesta semana, serão deslocados mais 60 agentes.

O governo foi surpreendido pela retomada da devastação, principalmente em Mato Grosso. Dados preliminares do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), a serem divulgados na semana que vem, sugerem um repique sem precedentes desde o final de 2007, quando o governo baixou o embargo de crédito aos desmatadores (gênese da polêmica atual sobre o Código Florestal).

Pulo do gato - O diretor do Inpe, Gilberto Câmara, recusou-se a fornecer o dado, alegando que ele ainda está sob verificação. "O gato subiu no telhado. Falta ver o tamanho do pulo".

A expectativa em relação à mudança no código, em discussão no plenário da Câmara, é considerada pela área ambiental do governo um dos principais fatores por trás da aceleração da derrubada.

Como já é tradição na Amazônia, o setor produtivo se antecipa a decisões do poder público e derruba a floresta.

Neste ano, em MT, o objetivo do desmatamento seria criar "áreas consolidadas" antes da aprovação do código para ganhar anistia.

Parlamentares ruralistas e entidades do setor têm vendido à base que o novo código permitiria a manutenção de áreas rurais consolidadas e abriria a possibilidade de consolidar o uso de áreas de preservação permanente.

A retomada do preço das commodities no mercado internacional e a anistia ao desmatamento concedida pela recém-aprovada lei de zoneamento do Estado também são apontadas como causas possíveis do repique.

Segundo Trennepohl, a devastação tem se concentrado na região produtora de grãos do Estado, e o desmate é sobretudo para agricultura. (Fonte: Ana Flor e Claudio Angelo/ Folha.com)

Data da notícia: 16/05/2011 - 00:00:04
Última modificação: 15/05/2011 - 20:49:33

Segue troca com meu amigo da Amazônia:

Caríssimo Hugo,

Mais do que esperado. Sem falar o estresse hídrico de milhões de árvores com as duas maiores secas da região numa sequência histórica, dos anos de 2005 e 2010. O “sul maravilha” não imagina o que isso pode acontecer e num prazo curto. Aqui há um vazio tão oco de conhecimento, que aproveitadores aparecem toda hora e fingem estar salvando a Amazônia, fingem usar seus produtos e o trabalho de suas comunidades, para vender produtos no sul e no mundo com essa falsa bandeira. Essa filosofia (sustentabilidade) ainda não nasceu e está cheia de elos perdidos. Ponto para a economia do alto carbono que segue ilesa, a despeito de tantos reclamos.

Como já lhe disse várias vezes, a Amazônia está sendo queimada viva, não há presença do Estado e o principal motor é a especulação imobiliária que vem a reboque das megaobras dos políticos politiqueiros, que mesmo antes de estarem prontas pontes e estradas, os grileiros aparecem e chegam pelas bordas dos rios, arrancando igarapés, ou pelas bordas das estradas. Desmatam e não são detidos, ao contrário, isso porque no Brasil um terreno ou terra só tem valor sem matas - e isso precisa ser modificado pela política do IBAMA e do ICMBIOs em relação aos proprietários que preservam, porque aqui no Brasil, incrivelmente, os proprietários mais incomodados e ameaçados de desapropriação para criação de parques são justamente os que defendem e protegem as suas matas.

Quando você esteve aqui no ano passado, mostramos isso a você. Sem falar que a tecnologia de fiscalização por satélite no Brasil é estranhamente desatualizada e os dados na verdade subestimam a destruição florestal daqui. Isso tem sido questionado por vários institutos sérios do mundo todo. Enfim, é muito pior que imaginamos, todos os biólogos sabem que fragmento florestal que resta do esquartejamento da Amazônia são pedaços de florestas sem capacidade reprodutiva a caminho da morte, isso estudado e observado em qualquer tamanho de fragmento florestal, não só nos mais pequenos como se imaginava antes.

Amazônia está próxima do tipping point, isso deveria ser ponto de preocupação máxima. O mais desesperador é ver as políticas dos países sul-americanos que dividem a Amazônia com o Brasil. Tem um vídeo que mostra um vídeo com escala temporal acelerada o que acontece na Bolívia. O mundo emergente está igual a China ou o centro-oeste brasileiro, que punha placas nos seus portos e estradas décadas atrás: “Problemas ambientais no seu país? Venha para cá!” ou “Queremos a poluição de São Paulo”, no caso brasileiro.

No Sul Maravilha a maior parte das obras é feita com madeira sem nota da floresta daqui, sabia disso?

Pode parecer exagero para alguns, mas você está certo quando diz “sem a Amazônia todos estaremos mortos”.

Abraço do seu sempre amigo idoso,

Virasin

quarta-feira, 11 de maio de 2011

PROTESTOS CONTRA USINAS NA PATAGÔNIA CHILENA

Por favor se comentar deixe um email para contato.

É o triste estertor da humanidade querer devastar um lugar como a Patagônia chilena para produzir energia que não precisamos. É o triste e último estertor. O mesmo se vê na Amazônia, onde Belo Monte e apenas a primeira de uma série. Essas obras ficarão como feridas sangrentas e evidentes de tudo aquilo que foi feito de errado e cegamente, supostamente em prol do bem comum, claramente apenas para beneficiar alguns que também se descobrirão ameaçados e arrependidos, mas apenas tardiamente.

________________________________________________________________

Santiago, 10 de mayo de 2011

El *PROGRAMA CHILE SUSTENTABLE* lamenta profundamente la aprobación, por 11 votos a favor y una abstención, del proyecto HidroAysén, que aportaría 2.750 MW al Sistema Interconectado Central (SIC), con un costo cercano a los US$ 7.500 millones y que generaría, al menos, 3 millones 770 mil toneladas de emisiones de CO2.

Además, repudiamos la detención de nuestra directora ejecutiva Sara Larraín, quien junto a otros representantes de organizaciones ambientalistas y otras 60 personas, fue llevada hasta un retén policial mientras se manifestaba de manera pacífica en las inmediaciones de la Plaza Baquedano, en pleno centro de la capital.

Junto con esto, debemos informar de la acción de terceros, quienes intervinieron nuestra página Web (www.chlesustentable.net) dejándola fuera de servicio e impidiéndonos informar a la comunidad de las consecuencias y hechos que rodean la construcción de las 5 centrales hidroeléctricas proyectadas que, según la encuesta Ipsos de abril, es rechazada por el 61% de la comunidad.

Agradeceremos su difusión y cobertura. Atentamente, Comunicaciones Chile Sustentable

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Transporte

Por favor se comentar deixe um email para contato.

A única saída para humanidade é o abandono do carro nas cidades em prol de transportes mais neutros, como andar a pé ou de bicicleta, e transporte coletivo. Eu detesto falar na primeira pessoa, mas eu ando 16 quilômetros por dia de bicicleta, da Avenida Paulista até o final da Av. Juscelino Kubitschek com a Marginal.

A cidade de São Paulo caminha para um colapso, onde aqui nasce mais carro do que bebê e a prefeitura, embora deveras preocupada, ainda tomou poucas medidas e algumas delas poderiam ser adotar isenções tributárias para quem usa transportes mais humanos e construir ciclovias. Enfim, a iniciativa da prefeitura abaixo é um bom início. Logo estaremos às voltas com várias medidas severas, como já foram adotadas em outras cidades do mundo como México e Londres, como pedágios urbanos, restrições maiores de rodízio, proibição de venda de veículos ou venda condicionada a retirada de um usado de circulação, mandando-o para o desmonte. Não é mais uma questão de querer manter o benefício de andar num automóvel (que alguns insistem que precisa ser cada vez maior para mostrar aos outros) e que possui velocidade média igual ao de uma galinha, por tanto tempo que fica parado. Trata-se agora de se adaptar a essa dura realidade chocante, que deriva da teimosia humana de ir até o limite do espaço físico, restrição mais óbvia e mais insuperável, porém não é a mais perigosa de todas, posto que a restrição ecológica é muito mais restrita e será atingida antes mesmo de ocuparmos todo o espaço físico da Terra com nossas construções e cacarecos. Como essas restrições irão se processar não sabemos muito bem, mas isso não significa que devam ser testadas, pois o que está em jogo é a vida na Terra (inclusive a humana, porque não somos deuses). É hora de todos acordarem: a Terra é um Titanic sem bote salva-vidas.

Como Monbiot escreveu ontem no Guardian, parece que a humanidade irá testar até o limite a capacidade de suporte do planeta e nada a deterá.

Bom dia !!!

A Prefeitura de São Paulo, com apoio da Caloi, iniciou um projeto chamado U-Bike, que visa promover um novo olhar de Sampa sob a ótica da bicicleta. Tratam-se de passeios leves, que visam pontos turísticos. Os passeios ocorrem nas manhãs de sábados e domingos e, no momento, partem da frente do hotel Unique.

É uma boa opção para quem não tem bicicleta ou ainda não está acostumado ao ciclismo urbano.

Boas pedaladas !!!

quinta-feira, 5 de maio de 2011

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Sustentabilidade apud Delfim, Ricúpero & Armínio

Por favor se comentar deixe um email para contato.



A visão do Delfim no livro do Ricardo Arnt me assustou: "não vou viver o suficiente para ver isso [colapso planetário]". Ricúpero é mais desperto, simpatizo muito com ele. Armínio é tecnológico, iremos sim construir um novo planeta se precisar. A chapa onde se instalam as idéias (nosso cérebro) é um problema seríssimo, principalmente quando vale aquela máxima aristotélica: "quando nossos interesses estão em foco, somos os piores juízes das nossas ações". Assusta também a enorme complexidade instalada para resolver a rota de colisão da humanidade com a Terra. É uma maneira da discussão ficar assim: nem sim, nem não, quem sabe talvez.

Nos três: quase zero o reconhecimento do erro da teoria econômica tradicional. Isso é bem problemático, porque muitos sabem que o erro existe. Os economistas menos antenados não sabem, portanto não há expectativa de assumirem esse erro, se simplesmente o mesmo é ignorado por eles.

Abraço a todos,

Hugo

terça-feira, 3 de maio de 2011

Vídeo fantástico sobre urbanização, rios e mobilidade em Sampa

Por favor se comentar deixe um email para contato.

Como escrevi aqui uma vez, um taxista velhinho me mostrou uma rua encrustrada na região da Berrini e contou que ali era um rio com uma cachoeira onde ele brincava quando criança. Os prédios da marginal que estão na várzea dos rios tem máquinas para bombear água que brota do subsolo 24 horas todos os dias.

Very depressing. Difícil ver alguma coisa significativa onde pudéssemos falar: “isso fizemos certo” ou “isso estamos fazendo certo”.

Enquanto o mantra sagrado do crescimento for a lei para deixar os ricos cada vez mais ricos, num planeta que é um Titanic sem bote salva-vidas, a única coisa que nos resta é rezar.

Mohamed El Erian, um monstro sagrado do mercado financeiro só fala sobre crescimento: El Erian and the sacred mantra: “We need high quality growth, not borrowed growth”. My quote: “But eternal growth is impossible in a finite world.” Direto do meu twitter.


Hugo



Realmente muito bom e trás imagens e dados da formação da cidade de São Paulo muito bons. Mas é triste pensar que hoje a concepção de cidade é algo totalmente afastado da natureza e o rio não existe ,só competindo pelo espaço ou servindo de lixo e esgoto.Mas é assim também com as árvores.A canalização de corregos e fundos de vale virou padrão nas cidades,em São Paulo nos anos 90 houve até um Programa financiado pelo Banco Mundial chamado PROCAVE, que teve versão I e II .Será que chegaremos um dia ,como na Coréia a descanalizar um corrego e trazé-lo a vida novamente?

Maria Leticia de Souza Paraiso
São Paulo -SP BRASIL

Veja o vídeo:


ENTRE RIOS from Santa Madeira on Vimeo.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Cidades e Soluções inédito!

Por favor se comentar deixe um email para contato.

Poluição mata! - parte 1

Uma equipe de especialistas coordenada pelo Dr.Paulo Saldiva (USP) mediu cientificamente os impactos sofridos pelo jornalista André Trigueiro durante algumas horas circulando por São Paulo a pé,de carro e de metrô.Pressão arterial, frequência cardíaca,inalação de poluentes, exposição a ruído,umidade e temperatura foram registrados por sofisticados aparelhos. E os resultados são impressionantes.

ü Globo News, nesta quarta-feira, 4/5 às 23:30h

Horários alternativos:

Dom 21:30

Seg 03:05, 08:30, 16:30
Qui 12:30
Sab 05:30

Confira a chamada do programa: http://glo.bo/iDGJvY